terça-feira, 12 de outubro de 2010

pra valéria


como se fosse uma prosa
um épico em tempo
de rosa fora de época
.
fosse uma canção
preparada pela manhã
servida na madrugada
.
espalhada por um gesto
de uma língua inventada
no lago dos signos
.
sairia dos meus corpos
o cântico dos cânticos
dos recônditos escondidos
.
versos só para ver
- na Valéria –
nascerem mil sorrisos

Nenhum comentário:

Postar um comentário