terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

SussUrros

minhas mãos geladas passeiam

sobre sua pele

seu ventre cálido à sombra

e desfaleço em seu seio

de moça

onde o medo não me enxerga

.

recebo seus pêlos claros

me esvaindo mansamente em seu umbigo

somando bocas úmidas a arrepios e graças

das simples vogais

.

sussurro um desejo morno

no último fio de nuca

para acalentar em suas coxas

num frescor de prazer que arrefece

(em beijos sufocantes

que cismam de deleite)

me lançando dissoluto no próximo

gozo

3 comentários:

  1. uau!
    que belo poema!
    vou dar uma passeada por aqui, ok?
    inté,
    pati

    ResponderExcluir
  2. oooiiii
    adorei o blogue!!!
    agora tens mais uma seguidora!
    Abraço,
    Adriana

    ResponderExcluir
  3. Oba oba! Leitoras novas!
    Grato pelos comentários.
    Acompanhem e comentem sempre.

    Bjos

    ResponderExcluir