quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Alagoas





DOS
para Yana Fujita

de passagem por estrada
tendo invadir latifúndios humanos
transmutar mansos e dragões de sete sombras
vestir a pele e o estar de quem é paisagem

sou sertanejo varandeando
andrajo ambulante rompendo chão
dedos maternos fiando mortes

não contente de encarnar
em gente enchida de sentidos
vaso na vastidão de ser palmeira despenhada
- e viva – na porta do oceano

serra adotando vacas
povoado alagoano caatinga
cabaça de xequerê palha pisada
calango água de cacimba

tudo me frequento
em função de ponte

2 comentários:

  1. Pense numa coisa boa. Pronto, esse texto!

    ResponderExcluir
  2. É madrugado - o frio, a neve, o vento - Eu fui até meu Ser-Tão. Caatingas nóssas. Obrigado Poeta.

    ResponderExcluir