quinta-feira, 26 de junho de 2014

PRIMEIRO PESADELO NA PRAIA

despido de palavras
onde nem razão ou dis
curso

campos de amplidão
usinam espantalhos

é preciso abraços
cair por terra uma
xicara de sol

- paro e revejo com pupilas
dilatadas às avessas
o sonho que ainda perfura -


: palavras não contabilizam o mar

Nenhum comentário:

Postar um comentário